Montag, 17. Juni 2013

Acorda Brasil!

Nunca pensei que esse dia ia chegar, mas parece que chegou. Estou falando do dia em que uma gota d'agua ia fazer transbordar o copo e fazer as pessoas levantarem e irem às ruas exigir mudanças. E olha, o Brasil resolveu acordar na hora certinha.
Me lembro como se fosse hoje o final de 2010 e início de 2011. A Tunísia, o Egito e a Algéria começaram protestos que contagiaram o mundo árabe e em questão de dias, governos foram derrubados e uma nova forma de política começou a dar as caras nesses países. As redes sociais foram fundamentais. Em questão de segundos o mundo podia ver o bicho pegando por lá. O Facebook da galera aqui na Alemanha pipocava com as notícias dos confrontos com a polícia, das pessoas sendo presas por apenas estarem passando por determinados locais e com a crescente indignação, que era como combustível para a ira contida com tudo que estava errado. Enquanto isso, nas linhas do tempo dxs brasileirxs, era que como se nada estivesse acontecendo no mundo. A coisa mais compartilhada na época eram as novas dancinhas de Neymar. Esse tempo todo eu sempre ficava pensando em como é difícil indignar um(a) brasileirx. Minha vergonha chegava a doer, mas ficava na minha, bem quietinha, bem brasileira.
Mas aí um dia abro o Facebook e as notícias começam a aparecer: presidente vaiada na abertura da Copa das Confederações, protesto contra o aumento da passagem de ônibus em São Paulo, repressão da polícia, nossa imprensa esquisofrênica oscilando entre ignorar o couro comendo e fazer declarações ridículas menosprezando o protesto. Para mim é interessante ver como de repente pessoas das mais diversas orientações políticas concordam que chegou a hora de levantar a voz e a hora não poderia ser mais oportuna. De repente os olhos do mundo estão voltados pro Brasil. 

Todo mundo está olhando pra lá querendo saber da copa e vão ter a oportunidade de ver que não são somente nos preparativos pra copa que estamos atrasados. Precisamos correr atrás também da educação e saúde de qualidade, da segurança pública, do sistema penal e carcerário, da igualdade social, racial, sexual e religiosa, da moralidade na política e como se isso tudo já não fosse suficiente, da democracia. Sim, porque de repente fica mais do que claro que não temos direito de protestar. É como se nossa voz só interessasse quando está gritando gol. 
É bom saber que no Brasil as pessoas estão começando a rejeitar o pão e circo e abrindo os olhos de verdade. Não sei se alguma mudança significativa virá em decorrência desse movimento, mas é assim que começa. As redes sociais, mais uma vez, tem sido fundamentais nesse momento. Sem elas ficaria difícil saber de forma objetiva o que está acontecendo, já que a mídia do Brasil é toda comprada e a mídia internacional parece que ainda está meio perdida, sem entender direito o que está acontecendo. Vou colecionar aqui os melhores momentos desse processo brasileiro. Enquanto isso vamos pra rua. Depois eu volto pra contar como foi a passeata em Hamburgo.
 
Achei lindo isso que uma amiga compartilhou no Facebook.Na legenda da foto havia uma lista de tudo que as mainhas podiam fazer de casa pra ajudar os manifestantes. É todo mundo querendo participar de alguma forma:-)   
 
 - Blog do Sakamoto: sobre como está errado a polícia bater em qualquer um, seja ele repórter ou cidadão comum.
- Socialista Morena: falando dos motivos reais desse movimento. Não é só por causa de 0,20 centavos.
- Gilber Martins Duarte: em seu blog Socialista Livre, um bom resumo da situação. Como chegamos até aqui.
- Salvador entrando na jogada. 
- Graeme Hodgson: Um olhar de fora e ao mesmo tempo mostrando como trazer a realidade dos protestos para as discussões dentro da sala de aula de EFL (English as a Foreign Language, pra quem não é dessa área:-)).
- Essa declaração de Jerôme Valcke, da FIFA, que sinceramente, estou tentando acreditar que foi piada... Se ele tá se incomodando com nossos protestos ele não tem idéia de como pode ser bem pior na Russia. Tá cutucando o urso com vara curta, só digo isso...

Keine Kommentare:

Kommentar veröffentlichen