Samstag, 17. Mai 2014

Outra discussão

Uma das coisas mais gostosas deste mundo é filosofar com os amigos. As boas discussões nos enriquecem, nos fazem crescer, abrem portas para outros mundos. Nos bons debates um fala, o outro realmente escuta e logo depois contribui com o seu ponto de vista, que quanto mais diferente melhor! Uma boa discussão não precisa terminar com as duas partes concordando. Só precisa mesmo que elas se escutem e se respeitem.

A impressão que eu tenho é que o ser humano perdeu a habilidade de discutir. Quantas e quantas vezes participo ou observo conversas nas quais as pessoas acham que estão tendo uma discussão, mas não estão. São aqueles momentos em que você nota que a pessoa não está dando a menor bola pro que você está falando e sim articulando em sua cabeça o próximo contra argumento pra derrubar o seu. Isso não é discussão e sim monólogo. Tem tanta gente tão convencida da própria opinião que não importa quanto tempo vocês discutam, nada chega do outro lado, nada do que se diz deixa rastros de curiosidade ou espaço pra os questionamentos se formarem. Esses são os convencidos e arrogantes.Pessoas assim acham que discutir é tentar catequizar os outros e impor suas opiniões. Quem é assim normalmente vê as discussões como um jogo ou uma guerra que precisam vencer custe o que custar.

Além dos doutrinadores de plantão, existem os mal educados que acham que discutir é xingar, baixar o nível, desejar o mal aos outros. Desses aí a internet anda cheia. É o que mais se vê nas redes socias. Alguém comenta alguma coisa e sempre aparece alguém que tem uma opinião contrária, chamando o outro de ignorante, imbecil e outras coisas piores. Às vezes dá o maior desanimo de conversar com gente assim.

Mas não acho bom se deixar levar pelo desânimo e constantemente fugir desses confrontos. Sempre se isentar de opinar e contradizer, muitas vezes tem o mesmo efeito que concordar com uma opinião contrária. Então o que temos de fazer é saber escolher bem os momentos de nos expressar e reaprender a discutir. O problema é que pra saber discutir bem, a gente primeiro precisa saber no que a gente acredita, mas ao mesmo tempo ter humildade de reconhecer que mesmo muitas de nossas convicções mais fortes tem o potencial de estarem equivocadas em algum contexto diferente.

Hoje em dia, com toda a facilidade e rapidez com a qual podemos obter e divulgar informações é absolutamente fundamental treinar nossa habilidade de refletir e processar aquilo que chega até nosso conhecimento antes de sair por aí professando nossas "verdades". É o antigo "parar um pouco pra pensar" para só depois integar esses novos conceitos a nosso repertório de certezas. Depois de estar consciente daquilo que a gente acredita, chega a hora de exercitar o hábito de ouvir o outro com ouvidos, mentes e corações abertos. No final, ainda nos restam algumas escolhas, como por exemplo, reconhecer que o ponto de visa do outro faz mais sentido do que o nosso e mudar nossa forma de pensar, fazer algumas adaptações no que acreditamos ou deixar tudo como está.

Quanto a gente consegue atingir esse nível de responsabilidade com nossas opiniões e respeito com a dos outros, debater se torna uma atividade interessante, educativa e renovadora. Mas infelizmente em nossos tempos de correria, falta de amor e respeito ao próximo, nossa arrogância e superficialidade não nos permite perder muito tempo com isso. A única coisa que importa é achar a forma mais rápida de terminar a discussão que nos contraria nos sentindo vitoriosos. Quer forma mais fácil de conseguir isso do que dizer: "É nisso que eu acredito e quem não pensa igual a mim é idiota, portanto que vá tomar naquele canto e fim de papo"?

Keine Kommentare:

Kommentar veröffentlichen