Donnerstag, 13. März 2008

A Arte da Grosseria

Imagem: Pixabay


Certos tipos de comportamento são inaceitáveis e a depender dos ânimos dos envolvidos podem até levar a confrontação física. Todo mundo concorda que nunca se deve colocar a mãe de ninguém no meio se a intenção não for partir pra briga, no entanto, salvo esses graves extremos envolvendo família, religião e time de futebol, como saber qual o limite do ouvir calado e do partir pro ataque com mãe e tudo? A resposta pra isso é outra vez muito cultural.



Aos poucos venho percebendo que ser grosso tem hora, lugar e situação certa e que essas variáveis são bem diferentes no Brasil e na Alemanha. Pra falar a verdade, acho que varia inclusive dentro do território nacional. Já me aconteceu de eu deliberadamente ser grossa com alguém aqui que pareceu não se ofender nem um pouquinho e outras situações nas quais eu pensei "oops, aí vai ter briga" e no final não teve nada. Podem ter certeza, aqui em Bremen, grosseria é uma arte.



Me lembro bem do dia em que, durante uma aula, começamos a falar da biblioteca central da cidade que na época tinha sido reformada e estava lindíssima. Alguns alunos concordaram e um determinado rapaz disse nunca ter colocado os pés na tal biblioteca. Imediatamente, uma colega de classe revidou: "Conte-me uma novidade. Quem não sabe que você é mesmo analfabeto?". Esses alunos se conheciam a não mais de que um mês então eu fiquei totalmente tensa, me coloquei em guarda, pronta pra agir e tentar graciosamente por fim a discussão, que na minha cabeça, já era mais do que certo que iria acontecer. No entanto, o rapaz deu uma olhada feia para a tal colega e a situação acabou aí. O mais interessante é que logo depois, numa atividade em pares, eles trabalharam juntos sem problema e concluíram a tarefa sem maiores conflitos ao ponto de fazerem "high five" no final quando constataram que acertaram a maior parte do exercício.



Esses alemães me confundem. Acho que o grande problema aqui é mesmo o grito. Não se deve falar alto, porque isso sim, assusta. Se você gritar elogios a alguém, a pessoa provavelmente não saberá o fazer e vai remoer aquilo por meses. No entanto um bom insulto num tom de voz agradável tem seu lugar. É bem ouvido, processado, avaliado e superado rapidamente. Acho que depois de tantas guerras o subconsciente coletivo aqui simplesmente endureceu. Se preparou pra aguentar tudo, ser ofendido e humilhado. Desde que, é claro em decibéis aceitáveis.



 P.S No livro “How to be a Kraut” do jornalista inglês Roger Boyes, ele fala também sobre isso. Segundo ele Berlim não só é a capital da Alemanha, como também é a capital européia da grosseria. Segundo ele se vocês forem a Berlim, devem inclusive evitar dizer "Boa tarde", "Por favor", etc porque isso seria um sinal de fraqueza. O livro é uma espécie de "Um Brasileiro em Berlim" sobro o ponto de vista de um inglês e é hilário. Se tiverem a oportunidade, leiam.

Keine Kommentare:

Kommentar veröffentlichen